Produto Alimentício

1. A consistência do produto. 
Para transportar, quanto mais firme for o produto, melhor: impede que o produto se amasse, permite o empilhamento. Todavia, um produto rígido, não seria agradável para a degustação. Como resolver o impasse? Simples, basta o produto ser rígido no momento do transporte e macio no momento do consumo.

2. Tamanho da embalagem.
Uma unidade é o tamanho ideal para o lanche de uma criança pequena. Porém haverão aqueles que não se satisfarão com uma unidade e até mesmo a mãe da criança provavelmente quererá transportar várias unidades para casa. Basta então criar uma estrutura que acople várias unidades em uma. E demos um "plus" ao nosso produto, utilizando uma conexão entre a unidade e a "estrutura de acoplagem" feita de tal maneira que a própria é um "termômetro" indicador de quando o produto já terminou sua transição entre a consistência rígida de transporte para a maciez propícia ao consumo. (É bacana quando o produto fala com você e essas coisas dinâmicas ficam ótimas em campanha de publicidade, que nem a escova de dente que muda de cor quando precisa trocar!)

3. Embalados separadamente.
Particularmente, achei muito inteligente quando a indústria de absorventes começou a embalá-los separadamente. Facilita o transporte dentro da bolsa! Alguns produtos alimentícios também seguem esse princípio (iogurtes, torradas, aqueles queijos extramente artificiais de consistência pastosa), são ótimos para o lanchinho. O nosso produto, então, também terá embalagem individual. Porém dessa vez desenvolvemos uma embalagem individual realmente inteligente. Nada de ratar na hora de abrir o pacote. Eu mesma, vez ou outra erro na força/velocidade de abrir o iogurte, corto aquele alumínio fininho na metade, esbarro o dedo no líquido. Uma melequeira. 

A nossa embalagem individual será aberta suavemente até chegar a um suporte na base, onde você segura o produto. Ideal para comer no meio da rua. Mantem o produto longe da mão suja de dinheiro, e a mão longe de se sujar com a comida. E em tempos de sustentabilidade, obviamente que não esqueceríamos de desenvolver nossa embalagem com material biodegradável.

Fantástico, o design da banana!

3 comentários:

  1. Humanos brincam de ser deuses a todo momento, as vezes tentando imitar a criação da natureza, outras vezes tentando subjuga-la. Considero a primeira opção a melhor em quase todos os casos, banana, teia de aranha,evolução associativa...um monte de invenções da natureza que deveriamos aprender,na minha opnião claro.

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Subjugar a natureza não é muito inteligente...

    ResponderExcluir