Monteiro Lobato

"Considero os homens equações de terceiro grau - equações psicológicas, está claro. Estudo-os, deduzo, concluo - e esfaqueio com precisão praticamente absoluta." 
Monteiro Lobato no conto "A facada imortal".

Tenho achado ele um escritor surpreendente. Muito mais famoso como o autor do Sítio do Picapau Amarelo (livro que terminou virando programa de televisão infantil, gravado e regravado pela tv Globo) também escreveu livros "adultos". Para surpresa de muitos, às vezes se apresenta como um contista macabro (vide o conto o "Bugio queimado"). Outras demonstra perspicaz crítica a sociedade, sem se tornar anacrônico, como é no caso do texto "Negrinha". 

Aqueles que andaram lendo denúncias do racismo implícito na obra do escritor paulista, de Taubaté, podem por em xeque tais afirmativas ao conhecer esse conto em específico. Nele, Monteiro Lobato denúncia os maus tratos que sofrem algumas crianças, descrevendo um caso  muito semelhante ao noticiado recentemente no Fantástico, sobre uma juíza a qual espancava sua filha adotiva. Curiosa fiquei, ao verificar que esse texto anteriormente disponibilizado no site "Releituras", fora tirado do ar mediante solicitação da família de Lobato.

Os contos referidos, encontram-se no livro "Negrinha", homônimo a um dos contos supracitados, publicado originalmente em 1920. Comprei numa promoção por menos de 10 reais e acho que sai no lucro... pelo que andei lendo os especialistas consideram que a publicação "reúne o melhor em sua obra de literatura não-infantil". Seja isso verdade ou não, recomendo como uma boa distração pós-expediente.

"Odeio qualquer atividade vazia dessa 'emoção da caça' que considero a coisa suprema da vida. (...) Uns caçam meninas bonitas, outros caçam negócios, outros caçam imagens e rimas".
Monteiro Lobato, também no conto "A facada imortal"

Nenhum comentário:

Postar um comentário