Religião

Quando eu nasci minha mãe era católica, meu pai um questionador. Lá pelas tantas eles resolveram frequentar juntos a igreja batista. Depois, entram na malfadada Igreja Universal. Vim para Maceió, e numa tentativa de manter minhas raízes e agradar minha mãe ainda frequentei por um tempo a igreja universal. Depois larguei e fiquei sem religião. Mas morava numa casa católica, que praticamente me obrigavam a ir a missa toda semana. Fui por um tempo e talvez até tenha gostado de algumas coisas...

Passei uma época achando que as religiões era um câncer na humanidade, o ópio do povo, algo a ser exterminado.


Revi meus conceitos, mas continuo sem religião alguma. Gosto de pensar na mensagem da biblía... na mensagem de amor que ela traz.


Continuo achando que as pessoas tão perdidas e cegas. De fato o importante não é para missa rezar. O importante é ter amor pela vida, amor pelo próximo. Saber ouvir, saber ser companheiro. Acho que as pessoas perdem o foco, mas não adianta muita coisa se revoltar...

Enfim... entre essas idas e vindas eu li um livro fantástico "Sobre o coração do homem", do Erich Fromm. Daí ele fala um pouco sobre as diversas religiões, suas distorções e sobre as tendências humanas para a vida e para a morte. O livro não precisa virar uma biblía, afinal se você pega um escritor e simplesmente absorve o que ele fala, sem reflexão crítica vai tá incidindo no mesmo erro dos fanáticos religiosos. Mas é um livro que vale a pena.

No mais é compreender que as pessoas são diferentes e tem objetivos diferentes na vida. Algumas são inquietas e questionadoras. Outras são mais conformadas e preferem seguir um conjunto de regras preexistente.

4 comentários:

  1. É.

    Basicamente é isso ai lari.
    O pessoal esquece que o bom senso, que o sentimento, é mais importante do que qualquer coisa que esteja escrito, como lei, em algum livro.

    A mensagem é mais importante.

    ResponderExcluir
  2. Algumas vezes o povo segue o foco de uma linha e esquece das outras.

    Se você ler realmente a história de Jesus ele pregava o Amor.. a Deus e ao próximo e ponto! Esses 2 mandamentos era o suficiente!
    Restabelecer o vínculo entre nós e entre o Pai
    (o que sempre foi o objetivo se for ler Genesis).
    Qualquer outra regra ou imposição é por pesos que não foram pedidos para serem carregados. Por muitas igrejas(evangélicas , católicas e por ai vai) imporem muitas regras e dogmas é que muitos se afastam e ficam com essa ideia errada de Deus e a fé( notou que eu não falei em religião?).
    Não há uma relação de direitos e deveres aqui! O objetivo aqui é criar um relacionamento! Nós criamos esse conjunto de regras por não conseguirmos nos relacionar sem um poder coercitivo estabelecendo o que é e o que não é nosso!
    Acho que todos aqui sabem que em um namoro,por exemplo, se ficarmos pautando a relação entre direitos e obrigações de cada um... tendemos a brigar e o namoro simplesmente não ir em frente, apesar de existir até amor nele!

    Enfim.. vou parando por aqui, pois já virou quase uma postagem! =P

    Tenho 2 indicações de livros bons:
    "A cabana" e "Cartas de Um diabo para seu aprendiz". São 2 livros que põem em perspectiva vários pontos sobre esses muitos questionamentos!
    (E o melhor.. os livros são baratinhos ^^)

    beijos e abraços!

    ResponderExcluir
  3. ahahah é justo isso que eu acho! Tanto do nosso relacionamento com Deus, como na questão do namoro. Eu ainda não li esses livros, mas irei seguir sua sugestão.

    E esse meu post tb surgiu de um comentário ehehehe o assunto rende!

    ResponderExcluir
  4. Todas as religiões são essencialmente boas, assim como todas as instituições religiosas são essencialmente ruins.

    Trás - traseiro; traz - trazer.

    ResponderExcluir