Assim foi

Ia com o fone de ouvido, alheia. Ri de uma presepada qualquer d'um moleque. Riu também a pedinte, rimos nós duas uma para outra, compartilhávamos o mesmo momento. Ela olhou para mim e de pronto estendeu a mão, eu,  por minha vez, de pronto inclinei o rosto, como se fosse menear a cabeça negando o pedido de esmola, Meu movimento foi interrompido quando dela ouvi: "que Deus te dê saúde!". Amém!

3 comentários:

  1. Hahahahahahahahahaha amém então...

    ResponderExcluir
  2. Oi Larissa, tudo bem?
    Primeiro quero te agradecer o comentário lá no meu blog.
    Esse teu mini-conto está muito bom. Cehi de significados. Lendo uma segunda vez, parece dizer outra coisa. Tem coisas subentendidas, isso é muito bom!!!

    Adorei teu blog, estou seguido e espero que volte e siga o meu rsrsrs

    Aquela cidade lá no meu blog é Buenos Aires, e o post é no Caminito (rua-museu) lá de Buenos.
    Volta lá, será bem vinda!

    Beijos e parabéns! Gostei mesmo!!! De coração!!!!!!!!

    Humoremconto
    http://anaceciliaromeu.blogspot.com

    ResponderExcluir