Welcome to real life: Parte II

Parte II, III ou IV. Nem sei mais... a primeira vez que usei essa expressão foi quando voltei da presencial do DS.

Cheguei em casa e graças a Deus ela não está alagada nem ninguém trocou as fechaduras. Embora eu tenha tido certeza disso cada vez que eu tentei encaixar a chave de cabeça para baixo. Eu sabia que não pagar o aluguel e ficar fora por um mês daria nisso. E se eu tentar colocar a chave do jeito normal. Ah, tá tudo em ordem. Por que a chave não deveria funcionar do jeito usual? Porque na Lapa não era assim. É, na Lapa nem as fechaduras são usuais. Mundo às avessas.

Rio, São Paulo, Maceió e não satisfeita fui dar uma provada em Brasília. Apenas três horas de permanência, mas tempo suficiente para relembrar o seu sistema de funcionamento: superquadras numéricas. Estou zonza de tantos sistemas urbanos, tantas escalas diferentes e sotaques.

Dizem que suco de uva não estraga, no máximo vira vinho. Era só o que tinha na geladeira para matar minha sede. Amanhã, volto a labuta. Saravá!

P.S:: Maldita injeção de adrenalina que me tirou do sono profundo e me despertou para catar minhas malas na esteira do aeroporto!

Um comentário: