Transporte público urbano

Gospel, uma mulher no banco quase em minha frente .

Funk, três adolescentes no fundo do vagão. Uma com uma espécie de roupa street dance, outra de vesitdo de manga-comprida e curtíssimo, a terceira, de rosa, não lembro direito.

Olha o termômetro com display LCD! 60 segundos, não precisa contar no relógio, nem no dedo, que ele vai apitar. Na farmácia é uns 15, 20 reais. Na minha mão não é 10 ou 9, na minha mão é 5.

A cena não poderia ser mais esdrúxula. Descobri que havia feito um julgamento precipitado quando o vendedor lançou outro argumento publicitário:

Minha gente eu bebi demais no show do Zeca Pagodinho, fiquei sem grana. Me ajuda! Olha o termômetro! Olha o termômetro com dislpay LCD 60 segundos num precisa contar no relógio nem no dedo ele vai apitar na farmácia é uns 15 ou 20 na minha mão não é 10 ou 9. Na minha mão é 5!

Situação caricata? Não, ainda. A do banco quase na minha frente resolveu tentar converter o ambulante. Ele porém só pretende "entregar a vida a Jesus" quando tiver doente. A da música gospel alertou:

Olha que a gente morre até em pé.

5 comentários:

  1. Faltou pegar alguém da Manassés ou os caras fazendo repente!

    ResponderExcluir
  2. Quem sabe se eu tivesse demorado mais.

    ResponderExcluir
  3. Aqui no interior do Paraná não tem disso. Todo mundo é bonito, educado e rico.

    ResponderExcluir
  4. vc comentou nos meus caldos de cana, e eu não lembro se eu respondi (mal criado que sou). de qualquer forma, resolvi dar uma conferida em seu blog e achei muito bacana, muito legal, gostei das ideias e das palavras, e te considero uma blogger amiga. valeu! sigo-te, e linko-te.

    ResponderExcluir